Início

Conheça a história de Göran Kropp, o sueco que superou qualquer limite em 1996

O aventureiro e alpinista sueco Göran Kropp impressionou a multidão de esportes radicais em 1996, quando ele andou de bicicleta 13.000 quilômetros da Suécia ao Nepal, escalou o Monte Everest sem oxigênio suplementar e depois voltou para casa com seu equipamento.O fascínio de Kropp por escalar montanhas começou em 1972, quando ele tinha apenas seis anos de idade. Seu pai o levou até Galdhøpiggen, na Noruega, que é o pico mais alto da Escandinávia, a 2.469 metros ou 8.100 pés acima do nível do mar.

Foto 73978
Amandina Morbeck


Depois de fazer uma breve passagem nas forças armadas, Kropp mirou em escalar os picos mais desafiadores do mundo. Antes de sua jornada para o Everest, ele conquistou seu primeiro pico principal, o Lenin Peak (localizado na fronteira entre o Tajiquistão e o Quirguistão) em 1988. Subiu Iliniza Sur, Cotopaxi, Illimani, Huayna Potosi, Illampu, Torre Muztagh, Pik Pobeda , e assim por diante.Embora parecesse que ele não estivesse fazendo muito esforço, a impressionante jornada de Kropp foi realmente extremamente difícil. Kropp iniciou sua jornada épica no Monte Everest, saindo de Estocolmo em 16 de outubro de 1995 a bordo de uma bicicleta Crescent Ultima especialmente projetada. Ele começou com 238 libras de equipamentos e comida.Andou de bicicleta perto de 13.000 quilômetros e finalmente chegou ao acampamento base do Monte Everest em abril de 1996.

Leia mais: Homem pedala 13,000km da Suécia para o Nepal, escala o Monte Everest e pedala de volta pra casa
O circuito de Cross Country Olímpico contará com três provas entre março e maio do próximo ano, e construirá um pista de XCO

A temporada de 2020 se aproxima e com sua chegada algumas novidades são apresentadas pela Brasil Ride, a principal agência promotora de eventos ciclísticos no País. Uma nova competição será realizada no próximo ano, o XCO Series, com três etapas entre março e maio, no Hotel Fazenda Sant'Anna, em Amparo (SP). Com o evento, que terá um circuito exclusivo para as três disputas, um novo formato de comercialização também é divulgado pela organização.

Foto 74004

Etapa do XCO na ultramaratona Brasil Ride   Fabio Piva / Brasil Ride


"O XCO Series 2020 representará a entrada da Brasil Ride no Cross Country Olímpico e promete ser em grande estilo. Estamos construindo uma pista de XCO na área da Fazenda Sant'Anna, um local com toda a infraestrutura para os atletas e seus acompanhantes, com restaurante, academia e hotel, e assim teremos o Bike Club Brasil Ride. Com essa novidade, trazemos um novo conceito comercial para essa competição que será realizada em três etapas em seu ano de estreia", destaca Mario Roma, o fundador da Brasil Ride. "Importante ressaltar que o XCO Series está aberto a todas as marcas do ciclismo", completa Mario Roma."Trata-se de um local perfeito para fazer eventos. Teremos uma arena em que todas as marcas poderão expor, com estandes pré-configurados. Compra-se um box e o mesmo já serve para as três provas. Assim, as marcas entregam suas lonas e vale para a temporada toda. Não só é um novo conceito comercial, como também novo conceito de prova com pista própria, que durante o ano funcionará como um bike park normal para as pessoas irem diariamente pedalar. Grandes eventos de marcas, como lançamentos e convenções, também podem ser feitos lá, uma vez que conta com toda infraestrutura", finaliza o fundador da Brasil Ride.As datas das três etapas do XCO Series 2020 no circuito da Fazenda Sant'Anna estão sendo definidas pela organização da Brasil Ride, todas no primeiro semestre, e serão divulgadas em breve.

Leia mais: Brasil Ride 2020 - Próximo ano conta com XCO Series e novo conceito no Cross Country
O cicloviajante Nestor Freire em sua passagem pelo Noruega, entre julho e agosto de 2019 - Acervo pessoal
O cicloviajante Nestor Freire em sua passagem pelo Noruega, entre julho e agosto de 2019 Imagem: Acervo pessoal
Diego Salgado
 18/12/2019 04h00

Um sonho que começou tímido ganhou o mundo e foi capaz de remover amarras sólidas, tal como a rotina de um empresário. Nem 25 anos no ramo da engenharia fizeram o paulistano Nestor Freire desistir de encontrar a felicidade em cima de uma bicicleta. E viver exclusivamente para ela.

Dono de uma empresa, Nestor, 52 anos, decidiu se dedicar a um projeto idealizado em 2012. Cinco anos depois, ele fechou as portas do seu escritório, vendeu as coisas e se tornou um viajante profissional, com a ajuda do dinheiro economizado por anos. O último desafio dele foi na Noruega, no oitavo trajeto anual que o agora ex-empresário fez virar realidade.

O projeto de Nestor ganhou o nome de Giraventura e é composto por 15 etapas. Ele inclui passagens por Islândia, Austrália, Equador, África do Sul, Turquia/Irã, Butão, Peru e Israel. A ideia é finalizá-lo em 2027, ano em que ele completará 60 anos - veja abaixo a lista de destinos. Em 2019, por exemplo, o cicloviajante colocou em prática a passagem pelos extremos do mundo. Primeiro, pedalou no Chile e na Argentina, até a região do Ushuaia. Depois, foi até o norte, onde pedalou pelo território norueguês.

No hemisfério sul, entre 23 de dezembro de 2018 a 31 de janeiro deste ano, completou um trajeto de 2.800 km. No norte, de 1º de julho a 20 de agosto, finalizou um trajeto de 3.800 km. "Não é uma viagem de volta ao mundo, sem compromisso, ela tem começo, meio e fim", disse Nestor à coluna.

Leia mais: Empresário largou o trabalho de 25 anos para viajar o mundo de bicicleta

A maior ultramaratona da América Latina tem a participação de cinco atletas da equipe pedalando sete dias de prova na Bahia.

Postado por AMÁLIA SARAIVA, em 17/10/2019 às 10:10


Brasil Ride promete emocionante disputa para os atletas corintianos. Foto: Fábio Piva

Ciclistas do mundo todo se reúnem no interior baiano para competir a tão esperada ultramaratona Brasil Ride.  Em sete dias de competição, pedalando 600 quilômetros entre os dias 20 a 26 de outubro, o Corinthians Audax vai em busca do título campeão com Letícia Cândido, Raiza Goulão, Bruno Paim, Zé Gabriel e Daniel Zóia.

Leia mais: Corinthians Audax é favorita na disputa do Brasil Ride 2019 na Bahia