|
Escrito por Bike emagazine.com.br
Acessos: 450

Bike chega em 2020 ao Brasil por R$ 13.990,00

Do Bikemagazine
Texto e fotos de Gabriel Vargas

Criada em 2008 pelo ex-ciclista (e designer industrial) sul-africano Mark Blewett, e com produção em uma das melhores fábricas da China, a SwiftCarbon foi por alguns anos uma marca de nicho, mas sempre reconhecida pela qualidade de seus produtos.

Em busca de expansão para o mercado europeu, a marca moveu sua operação para a região da cidade do Porto, em Portugal, e em 2018 foi comprada pela mineira Sense. No currículo, a marca traz a medalha de bronze do triatleta sul-africano Henri Schoeman nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, além de vitórias em etapas do circuito mundial de triathlon ITU.

Alguns modelos da SwiftCarbon já são conhecidos do público brasileiro sob roupagem da Sense, como a elogiada endurance Attack G2 (Sense Prologue) ou a Hypervox (Sense Vortex). Agora, a SwiftCarbon chega ao Brasil com alguns modelos exclusivos, como a superleve Ultravox, a moderníssima Racevox e a Neurogen, uma bike de crono e triatlo.  

A Ultravox SSL Disc

A SSL (Swift Super Light) tem nova malha de carbono da marca sueca TeXtreme

A Ultravox é um modelo clássico na linha da Swift. A primeira versão é relativamente antiga, lançada como Ultravox RS-1 em 2013. Pouco depois, a marca apresentou a versão Ti (Team issue), com aprimoramentos nos tipos de fibra de carbono utilizados.

Mais recentemente, chegou a SSL (Swift Super Light), com novo lay-up da malha de carbono e uma combinação que adiciona fibras ultra-resistentes da marca sueca TeXtreme à base de fibras Toray T700 e T900. O molde e o formato dos tubos em geral, porém, é o mesmo dos anos anteriores.

Embora seja um projeto visualmente antigo, a tecnologia empregada na construção é de ponta. Vale lembrar que essa é uma das bikes utilizadas pela equipe Pro Continental portuguesa W52-FC Porto (veja nossa reportagem) e pela extinta equipe australiana Drapac-Porsche.

Ultravox SSL da W52-FC Porto na Volta da Turquia 2019 – Foto de Marcos Adami

 Recebemos para testes um exemplar tamanho L, equivalente a uma 54, com 388mm de reach e 549mm de stack. A cor “Verde Limão” chamou atenção e rendeu elogios no pelotão. Em tempos de stays rebaixados, a Ultravox mantém um quadro que podemos considerar como clássico. Suas formas são bonitas, e a qualidade e profundidade da pintura brilhante é espetacular e fácil de limpar.

Detalhe da área do movimento central

Em nossas balanças, o modelo pesou 8,3kg sem pedais, o mesmo que anunciado no site da SwiftCarbon Brasil. Se colocarmos em perspectiva e lembrarmos que é um modelo a disco, com aros altos de alumínio e componentes Shimano 105, entendemos que o peso é bom, pois não há como fazer mágica.

A Ultravox SSL Disc estará disponível para lojistas em janeiro de 2020 e o preço sugerido é de R$ 13.990,00. A marca oferece cinco anos de garantia para o quadro e um ano contra defeitos de pintura/verniz ou adesivos. A garantia para os demais componentes será de acordo com o fabricante. A bike será oferecida em duas cores (preto e verde limão) e quatro nos tamanhos 49, 51,5, 54 e 56,5.

A bike é equipada com grupo completo Shimano 105 R7000 de 11 velocidades

O modelo testado estava equipado com grupo completo Shimano 105 R7000, linha reconhecida por ser funcional e confiável, com ótimo custo-benefício. A bike vem com os freios a disco BR7070, com rotores RT800, de 160mm na frente e 140mm na traseira.

Detalhe do garfo e das rodas DT Swiss P1800 Spline Disc 32

As rodas são DT Swiss P1800 Spline Disc 32, que encantaram pela qualidade, acabamento e firmeza. Com aproximadamente 1.750 gramas, o peso é bastante honesto para um modelo com 32mm de perfil e 17,5mm de largura interna. Em outras marcas, muitas vezes vemos estas rodas em bikes montadas com Shimano Ultegra, o que sugere o nível elevado do componente. Merece destaque o belo conjunto de blocagens, de design moderno.

Os testes
A bike é uma delícia de rodar! Os primeiros quilômetros já mostraram um conforto impressionante, inesperado. As primeiras subidas mostraram que a bike é bem firme na pedalada em pé e responde bem. E as primeiras descidas… que pilotagem! A Ultravox excedeu as expectativas em absolutamente todas as situações.

Detalhe da bela blocagem e do rotor dianteiro de 160mm

As boas impressões continuaram firmes treino após treino. Foram pouco mais de 1.100 quilômetros percorridos em três semanas, incluindo uma prova de três horas em autódromo com curvas fechadas e velozes e subidas travadas, além de treinos em pelotão e outros treinos bem longos com serras e bastante estrada em geral.

Gabriel Vargas na prova 3 Horas de Capuava, em Indaiatuba (SP) – Foto de George Gargiulo

É o tipo de bike que agrada sempre e faz o ciclista querer acumular alguns quilômetros extras no fim do treino, de tão agradável suas características de rodagem. Ao fim da primeira semana de avaliações, estava claro que não seria fácil apontar algum defeito ou ponto negativo nesse modelo.

A Ultravox SSL faz curvas muito bem e tem uma condução leve, segura, sem surpresas. Poderíamos classificar como neutra, ou seja, não muito arisca e nervosa e nem “presa” e lenta demais. É portanto perfeita para atender a ciclistas de qualquer nível.

Detalhe do câmbio traseiro Shimano 105 R7000

Descer é um show à parte, como notado nas descidas sinuosas durante a prova em autódromo. Além das características seguras e previsíveis da direção, os pneus da marca alemã Schwalbe Durano 25c foram exemplares. Embora não sejam um modelo específico para competição, e sim mais voltado para maior durabilidade em treinos, a borracha da banda de rodagem não trouxe nenhuma surpresa em nenhuma curva, em nenhuma frenagem.

Em subidas, o comportamento da Ultravox SSL é interessante. Em inclinações mais ligeiras, até 5%, ela é adequadamente veloz, como é de se esperar para uma bike de performance. Quando a inclinação aumenta, o peso das rodas aparece um pouco em relação a uma bike com rodas bem mais leves. Mas a bike jamais fica lenta ou arrastada. Se a coisa complica na subida, basta sair do selim e desfrutar da rigidez na parte inferior do quadro, que responde alegremente à pedalada em pé.

Mesa, guidão e canote são da Sentec, marca que pertence à Sense

Os componentes fixos Sentec, marca própria da Sense, fecharam bem o pacote da Ultravox. O guidão tem boa ergonomia, especialmente nos drops, e a mesa tem um belo visual integrado aos espaçadores, que valoriza bastante a aparência da bike como um todo.

O selim Selle Royal Asphalt já era conhecido do nosso teste anterior com a Sense Criterium. Esse componente mais uma vez se mostrou incrivelmente confortável, graças à sua construção com o encaixe recuado dos trilhos na parte traseira. Porém, a mesma flexão extra que garante conforto também se mostrou um pouco incômoda em momentos de pedalada muito intensa sentado. Não chega a prejudicar, mas é possível e compreensível que o comprador da Ultravox prefira substituir por um modelo de sua preferência.

Versão Brasileira
A SwiftCarbon Ultravox SSL equipada com Shimano 105 não é idêntica à bicicleta disponível na Europa. Lá, a bike vem com rodas Vision Team 30, componentes de linhas de entrada da FSA e pneus Hutchinson Epsilon. Uma comparação rápida deixou claro que a versão para o nosso mercado foi muito bem pensada e o pessoal da Sense acertou bastante na escolha dos componentes.

Concorrentes
Nossas pesquisas retornaram apenas dois modelos concorrentes no mercado brasileiro, com quadros de carbono, grupo Shimano 105 e freios a disco e com preço próximo aos R$ 13.990,00 sugeridos pela SwiftCarbon. A principal concorrente na hora da decisão deverá ser a Cannondale SuperSix Evo Disco 105, que entrega um pacote bem próximo com preço praticamente igual – R$ 13.999,00. Outra concorrente é a Audax Ventus 3000, um pouco mais em conta – R$ 12.999,00 sugeridos – mas com freios a disco mecânicos.

Veredito
Versátil e equilibrada, a Ultravox SSL Disc 2020 foi puro deleite durante os testes. Entrega performance com conforto sem prejuízos, reatividade e agilidade com estabilidade e boa condução. É uma bike convidativa para passar o dia inteiro sobre selim em treinos longos nas montanhas, mas também é perfeita para competições em circuitos e pelotões nervosos.

O confortável selim Selle Royal Asphalt pode não agradar aos ciclistas mais exigentes e competitivos

Graças a essas características abrangentes, ela é adequada para ciclistas de qualquer nível de experiência e performance. Não há nenhuma objeção em relação à configuração dos componentes e, talvez, ciclistas mais exigentes e competitivos podem optar por um selim adequado à preferência pessoal.

No cenário de mercado, entendemos que a SwiftCarbon Ultravox SSL Disc 2020 é uma bike que não desponta muito em relação à concorrência, mas também não peca em nenhum quesito. Pode ser a melhor opção para quem está à procura de uma bike a disco com desempenho superior, excelentes características, bom custo-benefício mas que não adotou a tendência recente de design de chainstays rebaixados.

Gostamos:
Conforto surpreendente e rodagem muito agradável
Direção neutra, estável mas sem ser lenta
Excelente qualidade na pilotagem em todas as situações
Quadro rígido e excelente para escaladas em pé
Rodas de nível superior
Componentes com bom acabamento e visual
Selim muito confortável
Pneus confiáveis em curvas

Não gostamos:
Selim não muito firme ao pedalar forte, sentado

FICHA TÉCNICA:
Disponível no link: https://swiftcarbon.com.br/race/ultravox-ssl-disc-2020