|
Escrito por Bike magazine
Acessos: 234

O belga Victor Campenaerts bate o recorde da hora

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

O belga Victor Campenaerts (Lotto Soudal) quebrou o recorde da hora nesta terça-feira (16 de abril), no Velódromo Bicentenário em Aguascalientes, no México., ao marcar 55.089km. O recorde anterior era do britânico Bradley Wiggins, que marcou 54,526 quilômetros no Lee Valley VeloPark, em Londres, em junho de 2015 (reveja aqui).

VEJA COMO FOI A CONQUISTA AQUI

Campeão europeu de crono em 2017 e 2018, Campenaerts, de 27 anos, foi bronze no contrarrelógio do Mundial de 2018, em Innsbruck, na Áustria, quando o australiano Rohan Dennis faturou o ouro e o holandês Tom Dumoulin ficou com a prata.

“O recorde da hora é um desafio único no ciclismo e vencê-lo seria uma maneira de escrever meu nome na história do esporte. Eu respeito muito Bradley Wiggins e não me considero um atleta melhor do que o ex-campeão do Tour de France e cinco vezes campeão olímpico. No entanto, levando em conta todos os detalhes possíveis, espero ter a chance de bater o recorde. Pessoalmente, o recorde da hora, o título mundial de contrarrelógio e a medalha olímpica de crono são os três sonhos que quero perseguir nos próximos anos”, comentou o belga antes da vitória.

Campenaerts em treino para o desafio

Depois do Mundial, o belga começou a treinar para a quebra do recorde. Fez testes no Vélodrome Suisse, em Granges, na Suíça, e depois viajou para a Namíbia, na África, quando ficou dois meses em treinamento em altitude. Campenaerts deve participar da Tirreno-Adriático (de 13 a 19 de março), que inclui um contrarrelógio por equipes no dia da abertura e uma crono individual no encerramento, antes da tentativa de quebra do recorde.

Situado a 1.800 metros acima do nível do mar, o Velódromo Bicentenário já recebeu várias tentativas de quebra de recorde da hora e também já sediou grandes eventos do calendário do ciclismo de pista, incluindo várias rodadas da Copa do Mundo de Pista e o Campeonato Mundial de Pista de Paraciclismo (em 2014).

LEIA MAIS
Flying Moustache, a bike de Campenaerts para o recorde da hora

Bradley Wiggins no velódromo de Londres em 2015 Foto: UCI

História
No recorde da hora, o objetivo é pedalar a maior distância durante 60 minutos, utilizando uma bicicleta convencional, semelhante às que são usadas nas provas de perseguição em pista. O desafio foi criado em 1893 por Henri Desgrange, fundador do Tour de France, que, na época, marcou 35,325 quilômetros.

Desde 2000 que a UCI adequou suas regras para o recorde porque houve ocasiões em que foram usadas bicicletas modificadas, como a “Espada” (da Pinarello) desenhada para Miguel Indurain em 1994 ou a “Old Faithful” do escocês Graeme Obree, que no mesmo ano bateu a marca do espanhol com uma bicicleta desenvolvida por ele mesmo, inspirada no movimento de rotação de uma máquina de lavar.

A “Espada” de Indurain no recorde da hora de 1994

Nos anos 1990 houve muito barulho em torno do recorde. Além de Indurain e de Obree, outros atletas, como Chris Boardman e Tony Rominger, encararam o desafio. O auge foi no ano de 1994, quando, entre abril e novembro, a marca foi quebrada 4 vezes, até atingir os 55,291 quilômetros de Rominger.

O recorde da hora ficou um tanto quanto esquecido depois da marca de 49,7 quilômetros, batida em 2005 pelo tcheco Ondrej Sosenka. Em 2014, porém, voltou à cena e novamente houve uma sucessão de quebras. O primeiro foi o alemão Jens Voigt (51,115 quilômetros), depois veio o austríaco Matthias Brandle (51,852 quilômetros).

Um ano depois foi a vez do australiano Rohan Dennis, que marcou 52,491 quilômetros, e depois o britânico Alex Dowsett, que estabeleceu o recorde em 52.937 quilômetros no velódromo de Manchester, na Inglaterra. Até que apareceu Bradley Wiggins, que sonhava com a marca de 55 quilômetros, mas acabou fechando em 54,526 quilômetros – mesmo assim uma marca difícil de superar.

DATAS HISTÓRICAS DO RECORDE DA HORA
1876 (1ª tentativa) | Frank Dodds | 26,508 km
1893 (1ª tentativa oficial) | Henri Desgrange | 35,325 km
1898 | Willie Hamilton | 40,781 km
1935 | Giuseppe Olmo | 45,090 km
1972 | Eddy Merckx | 49,431 km
2000 | Chris Boardman | 49,441 km
2005 | Ondrej Sosenka | 49,700km
2015 | Bradley Wiggins | 54,526 km