|
Escrito por Super User
Acessos: 331

A seleção brasileira conquistou três medalhas de bronze no velódromo durante os Jogos Sul-Americanos de Cochabamba 2018, na Bolívia, que terminaram neste domingo (3 de junho), com Flavio Cipriano, João Vitor e Kacio Freitas na prova de Velocidade por Equipes, Gabriela Yumi na prova Keirin e Wellyda Rodrigues na prova Omnium.

O trio de velocistas brasileiros formado pelos ciclistas Flavio Cipriano, Joao Vitor e Kacio Freitas fez bonito na noite de quarta-feira, 30 de maio, noinício da disputa. Depois de um contratempo, onde os atletas acabaram caindo e danificando parte dos equipamentos, a seleção fez uma prova de recuperação e alcançou a classificação para a medalha de bronze com o tempo de 44s337. Sabendo que precisaria baixar o tempo para brigar pela medalha, os brasileiros aceleraram forte na corrida decisiva e cravaram 43s877 para garantir o terceiro lugar sobre a Argentina. A medalha de ouro ficou com a Colômbia e a prata foi para a Venezuela.

Para Kacio Freitas, homem responsável pela última e decisiva volta na disputa por equipes, o resultado é positivo e vai contribuir muito para o crescimento do grupo como um todo. “Conquistar uma medalha em um evento desta importância é sempre positivo. Mesmo querendo brigar pela medalha de ouro, sabemos da importância do resultado e estamos todos felizes. Essa medalha vai contribuir para o crescimento do grupo de forma geral, principalmente motivando a continuarmos firme e motivados na disputa”, destacou Cipriano.

Também Gabriela Yumi fez uma excelente apresentação. Competindo contra as melhores atletas da América do Sul, a velocista brasileira, de apenas 23 anos, não se intimidou e entrou confiante na briga por medalhas. A final contou com as seis melhores atletas da prova. Gabriela largou no meio do grupo e buscou fazer uma prova consciente, sempre com muita cautela. Nas últimas voltas, a brasileira arrancou forte, se manteve sempre entre as primeiras e garantiu a medalha de bronze registrando seu nome na história ao conquistar a primeira medalha feminina do Brasil na prova Keirin dos Jogos Sul-Americanos.

“Todas as baterias foram muito apertadas. Cheguei a pensar que ficaria fora da final, mas aos poucos fui conseguindo evoluir bem, mantive a cabeça focada e consegui sair com a medalha de bronze. Estou muito feliz por estar aqui representando a seleção colocando o Brasil mais uma vez no pódio”, comemorou Gabriela.

As duas primeiras colocações ficaram com a Colômbia. A medalha de ouro foi conquistada pela ciclista Martha Bayona Pineda, enquanto a prata ficou com sua compatriota Diana Maria Orrego.

Com quatro corridas em sua programação, a prova Omnium é uma das disputas mais complexas realizadas no Velódromo. Todas as quatro corridas (Scratch, Tempo Race, Eliminação e Prova Por Pontos) são disputadas no mesmo dia. O atleta que somar o maior número de pontos na classificação acumulada é o campeão.

A brasileira Wellyda Rodrigues iniciou sua participação de manhã, na sexta-feira (1 de junho), com dois sextos lugares na Scratch e Tempo Race. As duas últimas e decisivas corridas foram realizadas no início da noite. Na prova de Eliminação, a brasileira voltou a ficar com a sexta posição, entrando na disputa final disposta a arriscar uma tática audaciosa e extremamente agressiva.

Após controlar bem a corrida e sabendo que precisaria acumular pontos na chegada final, Wellyda se posicionou entre as primeiras colocadas e nos metros finais surpreendeu as adversárias com uma arrancada incrível para vencer a Prova Por Pontos e comemorar a inédita medalha de bronze.

No acumulado, Wellyda Rodrigues ficou com 133 pontos, enquanto a argentina Irma Greve somou 153 pontos e conquistou a medalha de ouro. A colombiana Yeny Colmenares ficou com a prata marcando 152 pontos.

A seleção brasileira encerrou a disputa com as provas Keirin e Madison masculino.Com mais um dia positivo na Bolívia, a equipe brasileira encerrou sua participação nos Jogos Sul-Americanos com os velocistas Flávio Cipriano e Kacio Freitas, que foram destaques na etapa final e por muito pouco não ficaram com medalha. Os dois conseguiram se classificar para a final da Keirin. A medalha de ouro ficou com o venezuelano Hersony Canelon e a prata com o colombiano Fabian Zapata. Já o bronze só foi definido no Photo Finish, devido à disputa acirrada entre Flávio Cipriano e o argentino Leandro Bottasso, que acabou garantindo a terceira posição, deixando o brasileiro em quarto lugar. Kacio Freitas ainda conquistou a sexta colocação.

A última prova do programa de Ciclismo de Pista foi a Madison, que é realizada em duplas. O Brasil disputou com os irmãos ciclistas Fábio e Ricardo Dalamaria. Todas as seleções presentes não mediram esforços para estabelecer um ritmo forte desde as primeiras voltas. Aos poucos os primeiros colocados foram sendo definidos. Os brasileiros finalizaram na quarta colocação, ficando apenas cinco pontos atrás da seleção venezuelana, medalhistas de bronze. O Chile garantiu o ouro e a Argentina ficou com a prata.